Embasa realiza Seminário em Buerarema


Embasa realiza Seminário em Buerarema

                                

             Na próxima quarta-feira, às 09 horas, o Instituto Macuco Jequitibá receberá na Casa de Cultura Jonas&Pilar, em Buerarema, uma equipe da Embasa Itabuna para falar dos seguintes temas:


1. Importância da elaboração do plano municipal de saneamento básico - Adnovaldo Borges (Gerente da DivisãoComercial da Embasaem Itabuna);

2. Saneamento básico/ Saúde Pública/ Uso racional da água - Thaíse Dias(Assistente Social);

3. Importância da preservação dos mananciais e da mata ciliar – Lorena Lacerda (Bióloga);

4. Qualidade da água/ Estação de Tratamento de água: etapas e composição - Daiane Silva (Química).


            A ideia de convidar a Embasa para falar desses temas foi do Instituto Macuco Jequitibá com o apoio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Buerarema. Há anos o município de Buerarema – assim como todos os outros da região Sul da Bahia – observa indiferente a degradação da Mata Atlântica e, consequentemente, a diminuição da água de córregos e rios. “Nossa região é autossuficiente em água, nós temos que lutar para manter esse privilégio”, disse Cassimiro Dias, presidente do Instituto Macuco-Jequitibá (IMJ).

            Buerarema é abastecida pelo rio São José (S. José da Vitória), muito embora a região dos mananciais esteja sob ataque maciço do desmatamento. “Essa situação não pode permanecer assim, as pessoas devem tomar consciência, e os órgãos responsáveis tem que fiscalizar, muito embora eu ache que o melhor fiscal é o povo consciente, por isso quis convidar a Embasa para esclarecer esses pontos cruciais para a população”, diz o presidente do IMJ.

            O uso racional dos recursos hídricos, porém, é apenas um ponto nessa cadeia. O município tem que planejar as políticas de saneamento, o que implica em desenvolver projetos na área que gerarão impactos na economia da Saúde. Em razão disso, é importante focar também na preservação do rio Macuco, um pequeno rio de Buerarema – muito embora seja perene – que está transformado em esgoto a partir do momento que entra na cidade. “Por ser perene, esse é um crime de extrema violência contra nossa bacia hídrica e algo precisa ser feito com urgência”, diz Cassimiro.

            Para o encontro na Casa de Cultura Jonas&Pilar foram convidados as autoridades municipais, vereadores inclusive. Outras instituições da sociedade civil organizada também foram convidadas, assim como a população em geral.
________________________________________________________________
Informações complementares:
Cassimiro Bonfim Dias : 88860372 e 81358804