Apenas Respire e Divino Amor


Just Breathe (Apenas Respire) apresenta crianças falando dos benefícios de práticas de meditação e respiração. O curta de quatro minutos foi o prelúdio para o chocante filme seguinte. A sessão do dia 14/01 abriu a programação anual do Cineclube da Casa de Cultura Jonas & Pilar. 



Divino Amor envolve o fruidor em uma sequência de êxtases e momentos cotidianos acompanhados de uma fotografia impecável. Pequenas inovações tecnológicas são suficientes para dar uma estética futurista em um Brasil fictício e tão próximo.

Do ponto de vista sociológico Divino Amor traz um debate urgente e ainda pouco explorado no cinema nacional.
O neopentencostalismo nasceu na década de 70 com a dissidência de líderes religiosos de religiões protestantes tradicionais. O seu crescimento é um fenômeno social com grande adesão entre a população negra.

 A religião tapa vários buracos deixados pelo Estado à sua maneira. Professam que se doarem à Deus Ele retribuirá com bênçãos financeiras. E funciona. Criam uma comunidade de ajuda mútua, neutralizam comportamentos autodestrutivos através de restrições morais.  
A questão aqui não é discordar dos benefícios de se manter uma mentalidade positiva mas se faz necessário defender as liberdades individuais. Disputar a interpretação do texto sagrado como maneira de garantir a sobrevivência.

Jesus disse: “antes que Abraão fosse, Eu Sou”. As palavras "Eu Sou" usadas na frase que começa no pretérito passado indicam uma mudança radical na dimensão temporal, mas isso é assunto para outro agora.

Podemos lembrar de como a lei do Cristo aprimora a lei Mosaica ao resumir os dez mandamentos em apenas dois. Amar e amar. E amar certamente não é impor sua fé ao outro nem controlar seu corpo. Como apontado na distopia de Divino Amor, a religião pode ser usada para dominar biopoliticamente a população. 

Muitos evangélicos despertam para as palavras do mestre Jesus: “Vós julgais de acordo com a carne; Eu a ninguém julgo” João 8:15.


Comentário escrito por Lucas Oliveira Rosário (lucasrosariox@gmail.com)