2001: Uma Odisseia No Espaço

maio 23, 2020


     Em “Errare humanum est” Jorge Ben indagava: de onde vem o nosso impulso de sondar o espaço?
Talvez seja para encontrar o que é totalmente diferente de nós ou alguém que nos tire a sensação de estarmos sós no universo.

     Vamos falar disso e um pouco mais na próxima live do cineclube virtual nessa terça-feira dia 26 às 19h pelo instagram, com o tema “O papel da tecnologia na humanidade.” Para participar dessa conversa aberta convidamos o cientista político Márcio Carvalho, professor na UFSB. Entre outras produções Márcio também é membro do grupo de pesquisas em materialidades, ambiências e tecnologias Logotonia.

      
Você tem acesso a uma versão dublada do filme aqui.

      2001 – Uma odisseia no espaço é uma das obras de maior êxito no cinema mundial. Além dos vários prêmios conquistados na época de seu lançamento, como o Oscar de melhores efeitos especiais, o longa envelheceu muito bem, continua sendo uma das melhores viagens no espaço de todos os tempos.

     Arthur Charles Clarke, inventor britânico radicado no Sri Lanka, foi autor de obras de divulgação e de ficção científica, entre elas o conto A Sentinela (1951) em que se baseou 2001. Clarke acabou escrevendo o roteiro do filme junto com Stanley Kubrick que produziu e dirigiu. Escreveu também o livro 2001 :  A Space Odyssey que foi lançado logo após o filme e depois mais três volumes!

   A participação de Arthur Clarke contribui para 2001 ser cientificamente realista, o longa traz elementos como a inteligência artificial, o uso de tecnologias na evolução planetária e humana, a reflexão sobre a probabilidade de existência de seres de outros planetas mais evoluídos do que nós.

    Em contraste com os romances de Clarke, Kubrick utiliza uma linguagem cinematográfica quase não-verbal, trabalha mais com a sensação de ver e ouvir do espectador: efeitos especiais pioneiros e som no lugar de técnicas narrativas tradicionais combinados numa inteligente montagem. Memorável por exemplo a valsa Danúbio Azul de Johann Strauss II fazendo acompanhamento do movimento de satélites.

    Assim como para os gregos o mar era carregado de mistérios, inspirando a Odisseia de Homero, o espaço para aquela geração de 60 era o ápice da curiosidade. Na verdade ambos os lugares, o mar e o espaço, ainda estão longe de serem completamente conhecidos por nós.


    Confira uma sinopse:


Desde a "Aurora do Homem" (a pré-história), um misterioso monolito negro parece emitir sinais de outra civilização interferindo no nosso planeta. Quatro milhões de anos depois, no século XXI, uma equipe de astronautas liderados pelo experiente David Bowman (Keir Dullea) e Frank Poole (Gary Lockwood) é enviada à Júpiter para investigar o enigmático monolito na nave Discovery, totalmente controlada pelo computador HAL 9000. Entretanto, no meio da viagem HAL entra em pane e tenta assumir o controle da nave, pondo em risco a vida dos tripulantes.




Postado por Lucas O. Rosário

You Might Also Like

0 comentários

Populares

Facebook