PRIMEIRA ETAPA DO PROJETO ARTE PARA FUTURO JÁ CONTEMPLOU ALUNOS DE BUERAREMA E SÃO JOSÉ



 


O Diálogo com a Comunidade, uma das etapas do Projeto Arte para o Futuro, realizado pelo grupo de teatro bueraremense “A Tribo, Arte e Sensibilidade” teve início nesta quarta-feira, 02 de maio, na Escola Treze de Junho, em São José da Vitória. E deu seqüência nesta quinta (03), no Colégio Enedina Oliva. Esta primeira etapa se encerra no dia 08 com após contemplar o Colégio Estadual Polivalente de Itajuípe e Colégio Estadual Ana Nery, em Ibicaraí. 


Além do Diálogo com a Comunidade,  no qual sua  execução ocorre  por meio de visitas às instituições escolares, no projeto inclui também a apresentação da peça teatral “A Hora da Estrela” e a palestra sobre o “Teatro Espontâneo”, que envolve estudantes do ensino médio dos quatros municípios citados.
O diálogo é realizado pela equipe que compõe o elenco da peça, diretores e demais componentes, e consiste na elucidação de diversos temas, desde a experiência da Tribo com montagens teatrais até o processo de produção teatral e adaptação do texto da peça  para o  público escolar.

A palestra sobre o “Teatro Espontâneo”, e a apresentação do espetáculo “ A Hora da Estrela”, uma adaptação escolar da obra de Clarice Lispector, por Luís Sérgio Ramos, dirigido por Gideon Rosa, acontecem no dia 18 de maio, às 18h e 19h, no Líder Social de Buerarema, finalizando assim as atividades do projeto.

O projeto Arte para o Futuro tem  apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia e apoio institucional do Instituto Macuco Jequitibá.
Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais. Para mais informações, acesse: www.cultura.ba.gov.br