DIA DO CINEMA BRASILEIRO

junho 13, 2020


     Seis meses após a primeira exibição pública cinematográfica do mundo, feita pelos irmãos Lumière em Paris, é realizada a primeira exibição de filmes no Brasil, 8 de julho de 1896 no Rio de Janeiro.

     Antes do Cinematógrafo inventado por Auguste e Louis Lumière surgiram o Cinetoscópio, lançado numa fábrica de Thomas Edison, o Praxinoscópio e a Lanterna Mágica. Cinema é uma abreviação de cinematógrafo. Cine vem do grego e significa movimento e o sufixo ágrafo aqui significa gravar. Temos então o movimento gravado.

     Em 19 de junho de 1898 o italiano Afonso Segreto teria gravado as primeiras imagens em movimento em território brasileiro, as imagens capturaram o cenário da Baía de Guanabara. Ele e o irmão Paschoal Segreto filmaram dezenas de filmes no início do século XX dando os primeiros passos para assentar as bases do cinema no Brasil. Em homenagem a esse pioneirismo, desde a década de 70, 19 de junho é o dia do cinema brasileiro.

    O Brasil que sempre teve presença massiva de cinema estrangeiro. Em alguns momentos com liberdade total sem nem precisar pagar taxas alfandegárias, em outros o imposto aplicado aos filmes estrangeiros eram utilizados na produção de cinema nacional, como no caso da Embrafilme.

     Muitos movimentos e fases passam nessa estória. A grosso modo: chanchadas, cinema novo, cinema marginal, pornochanchadas, retomada e pós-retomada. O Brasil descobre o Cinema e vice-versa. Frente aos ataques recentes às artes e ao audiovisual novas sementes de ideias germinam no devir do cinema nacional.

             Nós de Buerarema e quem mais tem contato com as atividades da Casa de Cultura Jonas & Pilar somos privilegiados em receber um cineasta singular num bate-papo para celebrar o dia do cinema brasileiro nessa sexta-feira às 17 horas: José Araripe Jr., profissão artista. Realiza diversas funções no cinema, nas artes plásticas, no rádio, na TV, na Universidade e em gestão de arte e cultura. Roteirista multimídia. Araripe e os novíssimos personagens do Sítio do Arara. A conversa será por uma live (VIVA) no instagram @casadeculturajonasepilar. Alguns de seus trabalhos mais conhecidos são os filmes Mr Abrakadabra! e Esses Moços. Caso queira assistir ou reassistir é só clicar nos links. 

Uma alusão aleatória à  dois grandes clássicos nacionais:


Um barco está perdido no oceano com três náufragos - um homem e duas mulheres. Sem ter o que fazer e com pouquíssimas esperanças de salvação, cada um deles passa a contar para os demais a história de suas vidas, relembrando os acontecimentos que os levaram até ali, três destinos à deriva, confinados em um espaço onde tudo é limite.

O CANGACEIRO: O bando de cangaceiros do capitão Gaudino (Milton Ribeiro) semeia o terror pela caatinga nordestina. É neste contexto que a professora Maria Clódia (Vanja Orico), raptada durante um assalto do grupo, se apaixona pelo pacífico Teodoro (Alberto Ruschel). O forte amor entre os dois gera grande conflito no bando.






You Might Also Like

0 comentários

Populares

Facebook